terça-feira, 23 julho 2024

Acre é destaque no Programa Inova Amazônia com 64 inscrições

As inscrições para o processo seletivo do programa Inova Amazônia foram encerradas essa semana e evidenciam a busca por protagonismo do Acre frente a ideias inovadoras em bioeconomia, com o estado configurando o ranking de terceiro lugar com 64 inscritos. A ação acontece com o apoio do governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Acre (Fapac) e em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Inova Amazônia 2023 é um programa de aceleração de negócios vinculados à bioeconomia, voltado para empresas formalizadas e em operação na Região Amazônica. Foto: Neto Lucena/Secom

O Inova Amazônia é uma estratégia focada em fomentar, apoiar e desenvolver pequenos negócios, startups, empreendimentos e ideias inovadoras alinhadas à bioeconomia. O projeto visa apoiar e gerar novos negócios sustentáveis e fortalecer o ecossistema empresarial da Amazônia, por meio da inovação e da conexão entre empreendedores, mercado e investidores.

Esse módulo é destinado a fortalecer os negócios existentes, induzir o ganho de mercado (tração), preparar para receber investimentos e induzir à escalabilidade, inclusive em âmbito internacional. Foto: Neto Lucena/Secom

O edital do módulo tração é exclusivo para negócios da bioeconomia que vão operar na Amazônia Legal, ou que pretendem abrir filial na região. Serão selecionados até 20 negócios por estado, totalizando até 180 propostas apoiadas nos nove estados da Amazônia Legal, sendo eles: Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

No dia 27 de outubro, estudantes e empresários participaram do lançamento do edital na sede do Sebrae em Rio Branco. Foto: Neto Lucena/Secom

As empresas contempladas receberão uma bolsa sócio empreendedor no valor de R$ 6.500 por mês, totalizando R$ 39 mil para cada negócio, e contarão com um aporte financeiro do Sebrae e da Fapac, assim como capacitações coletivas e mentorias individuais, assim como incentivo de atividades para induzir a formação de redes de contato e conexão com o mercado.

Moisés Diniz, presidente da Fapac, se diz animado em ver a participação dos acreanos. Foto: Keuvyn Lins/Secom

O presidente da Fapac, Moisés Diniz, celebra: “Ficamos animados em encontrar talentos em inovação tecnológica que vão de encontro com o melhor da nossa biodiversidade amazônica, com soluções aplicáveis para os problemas da humanidade e que geram renda e emprego para a nossa população”.

Notícias relacionadas :

spot_img

NÃO DEIXE DE LER