sábado, 13 julho 2024

Alto escalão do governo do Acre e empresas são alvos de 89 mandados de busca e apreensão

A Polícia Federal e a Procuradoria-Geral da República (PGR), com apoio da Controladoria Geral da União (CGU) e da Receita Federal (RFB), deflagraram na manhã de hoje, quinta-feira (09/03) a Operação Ptolomeu III, que apura suspeitas de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o governo de Gladson Cameli (PP), no Acre.

De acordo com a CGU, os alvos da operação praticavam fraudes em contratações públicas no Acre com “com recursos da saúde, da educação e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), relacionadas à execução de obras de infraestrutura e serviços de manutenção predial”.

Segundo a PF, R$120 milhões em bens foram bloqueados. Aeronaves, casas e apartamentos de luxo foram apreendidos. O governador, por sua vez, foi proibido de se ausentar do país e terá que entregar o passaporte em até 24 horas. Ele também não poderá ter contato com outros investigados no caso.

OPERAÇÃO AMPLA

Desde as primeiras horas da manhã, mais de 300 policiais, com apoio de servidores da CGU (Controladoria-Geral da União) e Receita Federal, cumprem 89 mandados de busca e apreensão nos Estados do Acre, Piauí, Goiás, Paraná, Amazonas e Rondônia, além do Distrito Federal.

A maior parte dos mandados – 65 – é no Acre; 8 são em Goiás, 7 no Distrito Federal e 5 no Amazonas. PA, MT, PI e PR tiveram um mandado de busca realizado. Em Brasília, as buscas são em um hotel de luxo às beiras do Lago Paranoá.

Segundo a CGU, os policiais também cumprem 21 sequestros de bens, 31 afastamentos de cargo ou função pública, 57 proibições de contato e acesso a órgão público, 57 entregas de passaportes, 70 quebras de sigilo bancário e fiscal e a suspensão da atividade econômica de 15 empresas.

Com informações de Jornal O poder

spot_img

Notícias relacionadas :

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO