sábado, 22 junho 2024
spot_img

Cursos profissionalizantes que mais empregam no Brasil

Saiba quais são os cursos profissionalizantes que mais oferecem oportunidades de emprego atualmente.

Pesquisa realizada em parceria entre a empresa de educação Pearson e o Google (2023), revelou que mais de 80% das pessoas optam por cursos virtuais de curta duração, ou seja, cursos profissionalizantes.

Ainda de acordo com a pesquisa, segundo o diretor de produto da Pearson, Eduardo Leite, os brasileiros entendem que precisam de qualificação para manterem-se relevantes no mercado de trabalho, e assim, alcançar as vagas desejadas em suas áreas.

A partir de tais fatos, este artigo apresenta e reafirma os benefícios da educação profissionalizante e quais são os cursos que mais empregam no Brasil. Assim, ficará mais fácil escolher quais serão os próximos passos da sua vida profissional!

6 Motivos para investir em educação profissionalizante 

Na escolha de uma modalidade educacional, eventualmente surgem dúvidas em relação à qualidade, prestígio, funcionalidade, e quais realmente valem a pena. Pensando nisso, apresentamos 6 motivos para investir em cursos profissionalizantes. Veja só:

Preparação para o mercado de trabalho

Desejar uma vaga sem obter as qualificações necessárias, como diz a expressão popular, é nadar contra a maré. Isso porque, a peneira do mercado de trabalho seleciona apenas profissionais altamente capacitados, isto é, com currículos expressivos.

Nesse sentido, os cursos profissionalizantes oferecem os conhecimentos e habilidades necessárias para destacar os estudantes, preparando-os para iniciarem suas vidas profissionais rapidamente.

Melhoria da empregabilidade

A preparação e o conhecimento resultam no aumento de chances de conseguir um emprego na área desejada. Assim como citamos, adquirir habilidades práticas e específicas engordam o currículo, o que significa aumentar e melhorar as oportunidades de trabalho.

Adaptação às demandas do mercado

Uma das características da educação profissionalizante é a sua capacidade de atualização e adaptação, pois pode ser ajustada conforme as demandas do mercado, quase que em tempo real, o que não acontece, por exemplo, com um curso superior.

Devido à flexibilização, cursos profissionalizantes se ajustam à medida que as necessidades do mercado mudam — e elas sempre mudam —, motivo responsável por garantir a atualização dos conhecimentos exigidos pelos futuros empregadores.

Flexibilidade e rapidez

Tanto o ensino técnico, quanto o profissionalizante, são de rápida conclusão, principalmente se comparado a um curso superior. Sem dúvida, todas as modalidades são fundamentais, mas se o estudante precisa de praticidade e agilidade, deve optar pela profissionalização.

Resumindo, quanto mais rápida a certificação, mais rápido o ingresso no mercado de trabalho.

Diversificação de habilidades

Pensando na rapidez da modalidade em questão, os estudantes podem realizar um número significativo de cursos e aumentar as suas habilidades, seja se especializando ainda mais em uma área, seja adquirindo conhecimento em novos setores.

Sendo assim, cursos rápidos auxiliam os alunos a se adaptarem a diferentes setores e a terem mais opções de carreira ao longo da vida.

Potencial de ganhos aumentados

Quando se fala em oportunidades de trabalho, é inevitável desejar uma boa remuneração. Nesse contexto, devido ao conhecimento específico proporcionado pelos cursos profissionalizantes, os estudantes têm maior potencial de ganhos, se comparado aos que possuem habilidades genéricas.

Pense assim: quanto mais direcionado for o conhecimento, mais o profissional será valorizado em sua área, sendo exatamente o que a educação técnica e profissionalizante oferece.

Nível técnico e profissionalizante: qual a diferença? 

Ambos possuem o mesmo objetivo: formar profissionais de maneira rápida, mas com a mesma qualidade dos cursos tradicionais. No entanto, existem certas diferenças entre as duas modalidades, sendo as principais:

  • Duração: cursos técnicos são mais longos e duram, em média, de um a 3 anos, enquanto o profissionalizante, são realizados em meses ou até mesmo em semanas.

  • Estrutura: a forma de ingresso se difere porque cursos técnicos, em sua maioria, exigem Ensino Médio completo, o que não acontece com os profissionalizantes. Além disso, a estrutura dos técnicos, pela maior duração, é mais robusta, enquanto os cursos profissionalizantes são mais específicos e focados nas principais habilidades e competências da área.

  • Foco: assim como citamos, o foco das duas modalidades são diferentes. Cursos profissionalizantes são mais específicos e mais nichados, o que pode ser um ponto positivo, em alguns casos. Já os técnicos, são abrangentes e generalistas. Um exemplo: há cursos técnicos de Turismo, e há cursos profissionalizantes de turismo voltado ao público idoso, e assim por diante.

  • Custo e acessibilidade: sem dúvida, o investimento em cursos profissionalizantes é bem mais baixo, além de ser mais acessível em relação aos formatos (horário, frequência semanal, locomoção, etc.). Atualmente, pode-se encontrar cursos profissionalizantes, de qualquer área e 100% online com muita facilidade.

Em geral, as duas opções transformam o estudante em um profissional qualificado, e cabe ao aluno escolher, entre essas características, qual a melhor alternativa para ele, conforme suas preferências e demandas.

Níveis de ensino: quais são e como funcionam

No momento em que o estudante procura por um curso, ele se depara com os termos “online”, “a distância” e “híbrido”, nomes dados às modalidades de ensino, ou seja, em como será feita a presença dos estudantes. Conheça quais são:

  • À distância (EaD): modalidade 100% online, geralmente são mais flexíveis e os alunos fazem seus próprios horários, a não ser em aulas online ao vivo.

  • Presencial: nessa modalidade, o aluno deve comparecer à instituição.

  • Híbrido: trata-se da modalidade semipresencial, com aulas à distância e presencial.

Não há melhor ou pior no quesito qualidade e eficiência, pois isso depende mais da instituição escolhida e da dedicação do aluno, esse, que deve escolher qual combina mais com a sua rotina e disponibilidade.

Quais são os cursos que mais empregam no Brasil? Confira as listas!  

Conforme pesquisa realizada com ex-alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), os 10 cursos com maior taxa empregatícia pós-formação são:

  1. Mecânica (96,5%)

  2. Alimentos (95,2%)

  3. Mecânica de Manutenção (94,7%)

  4. Refrigeração e Climatização (94,5%)

  5. Eletromecânica (94,4%)

  6. Automação Industrial (93,2%)

  7. Fabricação Mecânica (93%)

  8. Eletrotécnica (92,7%)

  9. Soldagem (91,3%)

  10.  Manutenção de Máquinas Industriais (90,6%)

Outra lista, desta vez, concebida por uma das maiores agências de emprego do país, a Catho, revelou os 8 cursos profissionalizantes com mais oportunidades no Brasil:

  1. Técnico em Administração (120 mil vagas)

  2. Técnico em Logística (mais de 16 mil vagas)

  3. Técnico em Contabilidade (10 mil vagas)

  4. Técnico em Enfermagem (1.200 vagas)

  5. Técnico em Segurança do Trabalho (mais de mil vagas)

  6. Técnico em Construção Civil (mais de 400 vagas)

  7. Técnico em Edificações (mais de 300 vagas)

  8. Técnico em Telecomunicação (mais de 300 vagas)

Após todas essas informações valiosas, nosso último conselho é: cursos online profissionalizantes são alternativas com rápido retorno, economicamente acessíveis, com horários flexíveis e inúmeras opções de qualificação. Escolha o curso conforme a área desejada e conquiste o mercado de trabalho a partir da sua dedicação e conhecimento.

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO