domingo, 14 abril 2024 - 18:32
spot_img

ENTRE MORTOS E FERIDOS…

COLUNA POLÍTICA – O JOGO DO PODER

Por Marcus Bastos
@marcusbastos_ac

 

BARRACO

O assessor do governo, Luiz Calixto, é um baita de um articulador, mas ontem protagonizou junto com o deputado estadual Edvaldo Magalhães, outro baita parlamentar, cenas dignas daquilo que conhecemos como “cachorrada” nos corredores da ALEAC. Meios civilizatórios e diálogo político são dignos de quem representa o governo e de quem representa o povo.

 

BARRACO II

Calixto e Edvaldo têm muito conteúdo e seria bom se ambos travassem o bom debate na tribuna da casa. Bons oradores que são e de cabelos grisalhos não pegou bem para nenhum dos lados as falas agressivas de ambas as partes. Os mesmos têm caráter para defender os interesses do povo e do governo de forma civilizada. E a sociedade espera outro comportamento, condizente com a solução dos problemas que necessitam de solução.

 

BARRACO III

Se quiser, Calixto poderá experimentar as urnas novamente para elevar o nível dos debates junto com o próprio Edvaldo. É bem verdade que a atual safra de deputados não é muito afeita aos bons discursos e que a casa carece de bons oradores. O povo têm sido bastante ingrato com a Aleac em relação a esse quesito.

 

BAIXO NÍVEL

Vou aproveitar aqui para dar uma cutucada naqueles que almejam se candidatar, concorrer a um cargo público, e aqui me vêm a pergunta. A Constituição permite, mas me diga você leitor: O que deseja mesmo um cidadão despreparado, incapaz de representar até os seus próprios interesses ocupando um mandato político? Essa é a pergunta que vereadores, deputados e outros ocupantes de cargos políticos, até majoritários, precisam se fazer diante do espelho.

 

BAIXO NÍVEL II

Independente de qual lado e qual interesse o político com mandato representa é necessário ter o mínimo de senso comum e noção do funcionamento do Estado, doutrinas, legislação, etc. O que se verifica em todas as eleições são políticos competentes para ganhar eleições com esquemas financeiros, e totalmente despreparados para o exercício do mandato. Quem perde com isso é a sociedade.

 

MEDIOCRIDADE

Carisma, sorriso falso, tapinha nas costas, postar fotos para rede social… qualquer um pode fazer. É bem verdade que na terra dos desbravadores a política continua sendo um meio de vida bastante promissor, permitindo ao medíocres entrar para a vida pública através do meio legal, o voto. E o povo continua daquele jeito…

 

INVISÍVEL

A venda de combustível no Acre virou uma baderna. Os postos de combustíveis em sua maioria vendem o que querem e do jeito que querem, gasolina batizada, preços abusivos etc. As oficinas vivem lotadas de veículos fazendo limpeza de bicos injetores. Ninguém faz nada? Ninguém vê nada?

 

PROCURA-SE UM PARTIDO

Assim está o deputado estadual Emerson Jarude. De saída certa do MDB, partido por onde foi eleito vereador em seu segundo mandato, e posteriormente deputado estadual. Jarude deixou o caminho livre para Marcus Alexandre montar o seu ninho de lua de mel com os “cabeças brancas” do MDB.

 

PORTA NA CARA

A Coluna teve a informação de que ao ser procurado por Jarude, o REPUBLICANOS fechou questão em não lhe abrir as portas. O partido já está cheio de caciques. A deputada federal Antônia Lúcia está em pé de guerra com o presidente estadual, o também deputado federal Roberto Duarte.

 

VÔO ALTO

O que poucos sabem é que Jarude se projeta para concorrer à cargos majoritários nas próximas eleições. Apesar de não ter dado nenhuma declaração à respeito, a forma como se comporta no exercício do mandato, de forma independente, deixa claro as suas pretensões e isso incomoda outros postulantes.

 

BOLA DE CRISTAL

Não há como afirmar que fulano ou cicrano seja o futuro governador ou a futura governadora. O que se percebe é que a próxima eleição para o governo em 2026 está com lacunas abertas. O fato do senador Alan Rick ter uma preferência do público hoje, está relacionado ao mesmo ser o único nome declarado até aqui.

 

BOLA DE CISTAL II

Ainda surgirão outras figuras, outros grupos se organizarão. As eleições municipais de 2024 ainda vão revelar muitas coisas. Há uma indefinição muito grande ainda com relação a 2026. Artualmente, nesta perspectiva, está tudo mais parado que água de igapó.

 

MEU PIRÃO

O senador Petecão, enciumado com o namoro de Marcus Alexandre com o MDB, está desistindo do mesmo e criando outro plano para as eleições de 2024 e 2026. Ele está mais do que certo, até porque Marcus Alexandre não vai resolver aquilo que Petecão mais deseja, que é viabilizar politicamente a sua reeleição ao Senado.

 

CABO ELEITORAL

Se o Marcus Alexandre fosse um bom transferidor de votos teria garantido uma boa votação ao Daniel Zen em 2020, quando este concorreu à prefeitura de Rio Branco. E teria garantido no mínimo ter ido ao segundo turno das eleições em 2022, quando foi vice de Jorge Viana concorrendo com Gladson Cameli.

 

CARISMA PESSOAL

Gladson e Marcus Alexandre têm algo em comum. Somente conseguem votos para si. Não conseguem tranferir votos. Isso já está provado. O resto é cafezinho, farofa de ovo com banana, e dança no Tik Tok.

TRIBUNA DO POVO

Leitor manda mensagem dizendo que o verão chegou, já está pra terminar, e quer saber das obras da Prefeitura e do Governo do Estado prometidas para esta época.

Com a palavra o senhor governador Gladson Cameli e o prefeito Tião Bocalom, que aliás, são do mesmo partido, o PROGRESSISTAS.

O tapa buracos da Prefeitura deu uma melhorada nas principais vias da cidade. Mas poderia acelerar mais esse trabalho aproveitando a ausência das chuvas.

Enquanto isso, o desemprego assola, e milhares de pessoas continuam indo embora do Acre realizar seus sonhos em Santa Catarina.

 

A opnião da coluna não representa a opnião do Acre Jornal

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

spot_img

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO