sábado, 25 maio 2024 - 9:00
spot_img

Governador Gladson Cameli e DJ Alok se reúnem em Brasília

O governador do Estado, Gladson Cameli, encontrou o DJ Alok nesta sexta-feira, 19, em Brasília, para discutir o projeto de um show beneficente no Acre. A conversa também girou em torno do trabalho do artista na defesa da cultura dos povos originários, tão rica no Brasil e, sobretudo, no Acre. O líder espiritual, ator e músico acreano, Mapu Huni Kuin, que intermediou a reunião, também esteve presente.

Encontro marcou o início de conversa para realização de show beneficente voltado a ações dos povos indígenas. Foto: Pedro Devani/Secom

Segundo Mapu Huni Kuin, a conversa do chefe de Estado com o DJ Alok foi o pontapé inicial para a realização do show beneficente, projeto de sua autoria, que tem o objetivo de arrecadar fundos para investir em ações voltadas às comunidades indígenas no Acre.

“Esse encontro foi muito promissor e vamos continuar falando desse projeto. O governo do Estado realizar um show beneficente do Alok é valorizar a cultura e os artistas indígenas do Acre, que se apresentam no exterior e demais cidades do Brasil. É respeitar e reconhecer esse trabalho”, afirma o líder espiritual.

A ideia do show também seria divulgar o mais novo trabalho do DJ, lançado neste Dia dos Povos Indígenas: O Futuro é Ancestral. O álbum conta com a participação de músicos de oito comunidades indígenas, com cânticos autorais, dentre eles os acreanos Mapu Huni Kuin, Tashka Yawanawá, Matisini Yawanawá e Rasu Yawanawá.

Convite para o encontro partiu do líder espiritual acreano Mapu Huni Kuin. Foto: Pedro Devani/Secom

O projeto do álbum iniciou em 2021 e já teve pré-lançamentos em eventos internacionais, como na sede oficial da Organização das Nações Unidas (ONU), o Global Citizen Live, em Nova York (EUA), e também no Grammy Museum, em Los Angeles (EUA), com a presença dos artistas indígenas que fazem parte do trabalho, que já foi inclusive reconhecido pela UNESCO como ação relevante para a Década Internacional das Línguas Indígenas (2022-2032).

Quarto maior DJ do mundo, Alok já esteve em Cruzeiro do Sul, no Acre, e desde seu contato com a cultura tradicional indígena procura dar voz a esses povos. De acordo com ele, seus projetos musicais em parceria com os indígenas são uma forma de amplificar as vozes dos guardiões da floresta, para que eles ocupem espaços sociais, e que ouvir a natureza é fundamental quando se pensa em soluções para reduzir os efeitos das mudanças climáticas.

Ao receber de presente, das mãos do governador, peças artesanais acreanas, dentre eles uma caixa em marchetaria, Alok elogiou o trabalho por tamanha beleza e delicadeza. “Nossa, lindo demais! Mandem meus parabéns para ele (artista plástico Maqueson Pereira, de Cruzeiro do Sul), porque esse trabalho é fenomenal”, frisou.

O governador Gladson Cameli agradeceu e parabenizou a liderança acreana, Mapu Huni Kuin, pela iniciativa do projeto e reafirmou o compromisso com todos os povos indígenas do estado.

Governador fala para Alok sobre a diversidade cultural acreana e o trabalho do governo do Estado voltado aos povos originários. Foto: Pedro Devani/Secom

“Temos uma cultura dos povos originários muito forte. Tenho muito respeito e sou um defensor do fortalecimento do etnoturismo acreano e da valorização das culturas tradicionais, um princípio seguido também pelo Alok, esse grande artista que tem disseminado os conhecimentos da floresta mundo afora. Minha gratidão ao Mapu que proporcionou esse encontro importante e por me apresentar a ideia do show beneficente”, afirma Cameli.

Governador entrega ao artista caixa com artesanato acreano: marchetaria e cocar. Foto: Pedro Devani/Secom

Os secretários de Turismo e Empreendedorismo, Marcelo Messias, e de Governo, Alysson Bestene, também participaram da reunião.

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO