sábado, 25 maio 2024 - 7:42
spot_img

Iapen inaugura fábrica de instrumentos musicais em Rio Branco

Na busca por um sistema prisional mais humano e eficaz, o governo do Estado, por meio do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen), deu mais um passo importante, nesta sexta-feira, 3, com a inauguração da fábrica de instrumentos musicais Sons da Liberdade, no Polo moveleiro, em Rio Branco.

Instrumentos musicais feitos pelos detentos durante oficina. Foto: Clébson Vale/Iapen

O principal objetivo com a criação da fábrica é ensinar aos reeducandos a arte da luthieria, com a fabricação de instrumentos musicais de alta qualidade. Por meio deste projeto, o Iapen, visa fornecer habilidades técnicas, promover o desenvolvimento pessoal e criar um caminho mais claro para a reintegração social.

Autoridades reunidas durante apresentação musical feita por um policial penal e instrutor da oficina. Foto: Clébson Vale/Iapen

A oficina proporcionará 222 horas de aulas práticas e teóricas, abrangendo temas como preparação de materiais, construção de instrumentos, reparações, design, personalização e empreendedorismo. Durante o curso, os reeducandos terão acesso a equipamentos e ferramentas de luthieria, bem como a profissionais qualificados que os guiarão em cada etapa do processo.

Luiz da Mata, chefe do Departamento de Ensino e Produção Sustentável (Depros), está à frente do projeto. Ele explica que a oficina conta com pessoas qualificadas e comprometidas, que sonharam com o projeto assim como ele, como o policial penal Jardel Costa, que é um luthier profissional. “Então foi possível chegarmos até aqui, e agora nós temos a missão de capacitar, ensinar essa profissão para os reeducandos e conseguir realizar uma arte, que é a fabricação de instrumentos”.

Coordenador do projeto explicou como a oficina será realizada. Foto: Clébson Vale/Iapen

O Tribunal de Justiça do Acre (TJ/AC), por meio da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas (Vepma), também tem papel fundamental no projeto, pois foi o responsável por destinar recursos, provenientes das Penas Pecuniárias, para a fábrica.

A juíza auxiliar da presidência do TJ, Zenice Cardoso, ressaltou que o Poder Judiciário precisa fomentar toda e qualquer iniciativa do Iapen em prol da ressocialização. “Faço questão de citar o nome da Andréa Brito, que é juíza da Vepma e que sonha com essa mudança, com essa transformação, e o Poder Judiciário está cumprindo com a sua missão de apoiar esses projetos”, destacou.

Primeira turma é composta por 15 reeducandos que já mostram talento. Foto: Clébson Vale/Iapen

A cada cinco meses, 15 alunos terão a possibilidade de participar da oficina. O reeducando A. S, de 39 anos,  faz parte da primeira turma e diz que a oportunidade é muito importante para ele. “Eu estou muito feliz de poder aprender a fazer violão, trabalhar com a madeira para sair desse lugar aqui e escrever uma nova história na minha vida”, afirmou o aluno.

Autoridades reunidas durante o lançamento do projeto. Foto: cedida

Alexandre Nascimento, presidente do Iapen, disse que o principal objetivo é dar a essas pessoas oportunidade de recomeço e um novo sentido para a vida. “Aqui é um local de oportunidades, aqui não tem muros, não tem grades, aqui representa a liberdade. O projeto que está sendo lançado hoje tem o nome de sons da liberdade. Aqui a gente pega uma madeira bruta, trabalha ela, entrega na forma de instrumentos musicais. Isso dá ao preso a oportunidade de obter conhecimentos metodológicos, que não envolve só a parte da madeira em si, mas ele trabalha aqui a questão da organização, a questão do controle, de entrada e saída de insumos. Então, tem uma série de oportunidades que são criadas dentro dessa área que vão ajudá-lo a voltar para a sociedade numa condição muito melhor, de uma forma muito mais preparada”, concluiu o presidente.

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO