domingo, 14 abril 2024 - 5:43
spot_img

Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal destaca avanços e compromisso com a qualidade agropecuária em 2023

O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre(Idaf) finaliza o ano de 2023 com um saldo otimista para o futuro, com o pleno funcionamento de suas ações voltadas para a segurança da produção animal e vegetal do estado.

Órgão busca garantir a produção animal e vegetal com padrões de qualidade sanitária, assegurando a saúde pública e a efetiva participação no mercado. Foto: José Caminha/Secom

Frente às conquistas alcançadas em sua gestão, Francisco Thum, presidente do órgão, agradece o empenho do governador do Acre: “O governo Gladson Cameli está oportunizando o crescimento do agronegócio no Acre, com diversas instituições voltadas para potencializar as produções locais. Estando próximo aos produtores e visitando os demais municípios, conseguimos visualizar essa expansão de maneira acelerada. Como gestor, me felicita muito ver essa força de trabalho se traduzindo em melhorias para a população”.

Governador Gladson Cameli é um grande parceiro do fortalecimento de instituições voltadas para o agronegócio. Foto: Diego Gurgel/Secom

Fortalecimento e reestruturação

Em maio, o governador Cameli empossou 432 novos servidores, com a força de trabalho estatal reforçando a máquina pública e promovendo a valorização do serviço público. Na ocasião, 40 pessoas foram designadas para atuar no Idaf. A medida reforça o compromisso do governador de fortalecer as equipes dedicadas à preservação do patrimônio agropecuário e dos recursos florestais do Acre.

Com o fortalecimento no corpo de trabalho, o Idaf contou com maior força na fiscalização e no controle animal e vegetal no Acre. Foto: Yago Ayache/Segov

Foram empossados técnicos em defesa agropecuária e florestal e auditores fiscais estaduais agropecuários, que atuarão em localidades como Rio Branco, Bujari, Epitaciolândia, Sena Madureira e Xapuri.

Para gerar melhorias na prestação do serviço público e dar seguimento ao planejamento do governo do Acre no reforço, reestruturação e apoio às autarquias e secretarias, durante 2023 foram realizadas reformas nas unidades do Idaf de Mâncio Lima, Rodrigues Alves e Plácido de Castro, com a modernização das unidades, ampliação, compra de materiais, reforço de frotas e contratação de novos servidores.

Reformas nas unidades visam prover um ambiente adequado para a realização plena das atividades do Idaf. Foto: cedida

Livre de aftosa

Por mais um ano, o instituto também se destaca por manter o Acre como uma zona livre de febre aftosa sem vacinação, uma prevenção alcançada apenas com a consciência dos agropecuaristas e a presença do Idaf em escritórios locais, presentes em todos os municípios, graças ao empenho de veterinários e técnicos treinados e munidos de equipamentos específicos voltados para esse cuidado.

Manter a qualidade do trato com os animais reflete diretamente no crescimento econômico do Acre. Foto: Marcos Vicentti/Secom

A febre aftosa é uma doença que afeta bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos e suínos, causando prejuízos diretos e indiretos ocasionados pela doença, bem como as limitações à comercialização de produtos pecuários, exigindo dos produtores rurais e das autoridades sanitárias um constante esforço para prevenir a doença e proporcionar condições para sua erradicação.

Em maio de 2021, o Acre foi certificado como Zona Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação com Reconhecimento Internacional, chancelado pela Organização Mundial da Saúde Animal (Omsa). E, desde novembro de 2019, a aplicação da vacina contra a doença deixou de ser obrigatória, após uma série de medidas adotadas pelo Estado em parceria com o governo federal.

Empenho do governo do Acre foi reconhecido por produtores rurais por propiciar uma zona livre da aftosa. Foto: Marcos Vicentti/Secom

A certificação provê segurança e destaque para o Acre, validando-o como polo de exportação para mercados nacionais e internacionais, importantes para os produtos de origem bovina, com a comercialização e exportação de maneira plena, fortalecendo o agronegócio e contribuindo para o desenvolvimento econômico.

Ao tornar-se zona livre de aftosa sem vacinação, o estado passa a ser visto por diversos países como local apto para a aquisição do produto. Foto: Marcos Vicentti/Secom

O Acre é um dos seis estados brasileiros reconhecidos internacionalmente como áreas livres de febre aftosa sem vacinação, além do Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, partes do Amazonas e do Mato Grosso.

Produção regional adequada

Um acontecimento definido como marcante para o Idaf, segundo seu presidente, foi a criação do selo D’Colônia e o sancionamento de normas sanitárias para a inspeção, fiscalização e diretrizes relacionadas à produção e comercialização de produtos e subprodutos de origem animal, elaborados de forma artesanal, provenientes de produtores rurais, cooperativas e estabelecimentos agroindustriais de pequeno porte do estado.

Criação do selo D’Colônia promove maior segurança e autonomia, permitindo a produção de forma artesanal de produtos de origem animal, oriundos de pequenos produtores e cooperativas. Foto: Neto Lucena/Secom

O decreto estadual foi legalizado pelo governador Gladson Cameli em agosto, na busca de valorizar produtos elaborados de forma artesanal e tradicional, podendo ter identidade cultural ou regional e produzidos em pequena escala, como leite, pescados, ovos e mel.

Presidente Francisco Thum aponta o Idaf como ilha de referência em nível nacional, realizando um trabalho de excelência. Foto: Diego Gurgel/Secom

“Procuramos sempre facilitar, regularizar e dar autonomia ao pequeno produtor. O Selo D’Colônia vem para cadastrar e simplificar processos necessários para uma comercialização adequada, permitindo que produtos artesanais sejam inseridos no mercado e transitem com seus produtos de forma organizada”, assegura Thum.

Controle de qualidade

Levando em conta que a pecuária é um dos maiores setores econômicos do estado, com mais de cinco milhões de cabeças de gado, há que se destacar o trabalho contínuo de controle e fiscalização de todo o setor agropecuário acreano. A autarquia estadual é uma ferramenta parceira dos produtores, apoiando os agricultores e criadores de gado a realizarem um trabalho adequado.

Instituto busca marcar presença com produtores rurais, com ações como palestras educativas. Foto: cedida

O coordenador de Educação em Saúde Animal do Idaf, Everton Arruda, reafirma a atuação do Instituto com seu público de interesse: “Buscamos ser parceiros dos produtores rurais, sempre presentes, realizando visitas às propriedades, tirando dúvidas e educando sobre os cuidados necessários com os animais, para que tenham uma produção saudável e produtiva para o seu pleno desenvolvimento”.

“Seja na área vegetal ou animal, buscamos realizar um trabalho comunicativo e próximo aos produtores rurais”, relata Arruda. Foto: Carlos Alexandre/Secom

Para Everton, as missões internacionais realizadas ao longo do ano foram destaques da atuação do Idaf em 2023. Na ocasião, equipes do Ministério da Agricultura da República Dominicana e das Filipinas visitaram a sede do órgão para conhecer as ações desenvolvidas e inspecionar o manejo do produto e do controle de fiscalização, para uma possível habilitação da carne bovina do Brasil.

Em janeiro, o Idaf recebeu profissionais da República Dominicana para demonstração do trabalho desenvolvido no Acre. Foto: Diego Gurgel/Secom

“Esse é um indicativo de que estamos nos destacando e realizando um trabalho de qualidade, servindo de exemplo para que outros estados e países acompanhem as normas necessárias e mostrando o Acre como um local produtivo no setor rural”, aponta o coordenador.

Aperfeiçoamento

O Idaf se preocupa em capacitar e atualizar seus servidores ao longo do ano, na busca de uma atuação mais eficaz e proporcionando um trabalho de qualidade para a sociedade.

Com palestras e ações continuadas, o Idaf se volta a produzir materiais informativos para divulgar e conscientizar a sociedade. Foto: Diego Gurgel/Secom

Buscando promover a defesa agropecuária e florestal, o instituto apresenta medidas emergenciais e caravanas educativas para combater diversas pragas da região, como a do mandarová (Erinnyis ello) e a monilíase. Tais ações se dão por meio de capacitações voltadas para profissionais e líderes de diferentes instituições, para atuar como multiplicadores e repassar à comunidade as medidas de prevenção contra as pragas.

Idaf promove diversas certificações no controle de pragas para a manutenção da qualidade e segurança dos cultivos. Foto: cedida

Assim o órgão atua no o combate contra a monilíase, com o controle e cuidados, sempre disponibilizando equipes em áreas de foco, com ações de educação sanitária vegetal, prospecções nas propriedades, barreiras fitossanitárias fixas e móveis.

Instituição busca sempre levar o conhecimento para o campo, demonstrando na prática o que é estudado teoricamente. Foto: cedida

A coordenadora de Educação Sanitária Vegetal do Idaf, Sandra Teixeira, alerta: “A monilíase é uma doença severa, que ataca frutos de cacau e cupuaçu em qualquer fase de desenvolvimento. Devemos ficar vigilantes quanto a essa e demais pragas que podem alcançar as produções. Em caso de suspeitas, evitar tocar no fruto, isolar a área e notificar as equipes do Idaf”.

Presença na Expoacre

Neste ano, o Idaf marcou presença na maior feira de agronegócio e entretenimento do estado, a Expoacre, realizada em Rio Branco, promovendo ações de conscientização e aprendizado. Uma das ações foi promovida para jovens alunos do ensino fundamental II, da Escola Estadual Rural Jorge Kalume, com uma visita técnica que destacou os programas desenvolvidos na área fitossanitária e animal, abordando temas como a monilíase, a brucelose e a aftosa.

Momento foi oportuno para informar as crianças sobre cuidados necessários no trabalho rural. Foto: Pedro Devani/Secom

Cursos de multiplicação, dias de campo, ciclos de palestras e campanhas também foram ações realizadas, abordando o combate à monilíase, brucelose bovina, uso de agrotóxicos e outras temáticas.

Instruções a estudantes destacaram os programas desenvolvidos na área fitossanitária e animal pelo Idaf. Foto: Pedro Devani/Secom

O encerramento deste ciclo anual para o Idaf representa um marco de conquistas e avanços significativos, destacando o seu compromisso com a segurança e qualidade na produção animal e vegetal, impulsionado pelo suporte do governo estadual e pela colaboração de uma equipe dedicada e em constante aprimoramento. As ações desenvolvidas reforçam não apenas a posição do estado no mercado nacional e internacional, mas também o respaldo e a confiança no potencial agropecuário regional.

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

spot_img

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO