terça-feira, 23 julho 2024

Justiça volta a negar habeas corpus a policial que matou jovem na Expoacre

Em sessão realizada na tarde desta terça-feira, 20, desembargadores da Câmara Criminal do Tribunal e Justiça do Acre (TJAC) negaram o pedido de habeas corpus e liberdade provisória ao policial penal Raimundo Nonato Veloso da Silva Neto.
O agente de segurança pública responde pelo assassinato do jovem Wesley dos Santos, de 22 anos, e pela tentativa de assassinato da jovem Rita de Cássia da Silva, 20 anos, namorada do rapaz, fato registrado em agosto de 2023 durante a última noite da Expoacre, em Rio Branco.
No recurso, a defesa do policial penal alegou ausência de fundamentação na decisão que indeferiu a liberdade de Raimundo Nonato durante a audiência de instrução e julgamento e também excesso de prazo para a conclusão do processo.

No mês passado, na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco, foi iniciada uma audiência de instrução e julgamento que decidiria se o réu iria ou não ser julgado pelo Tribunal do Júri. A pedido do Ministério Público do Estado do Acre, a sessão foi suspensa. De acordo com a defesa, entrará com outro pedido de liberdade na conclusão da audiência, cuja data ainda será marcada. Por enquanto, Raimundo Nonato Veloso continua preso.

Os argumentos do recurso impetrado pela defesa não convenceram a relatora do processo, desembargadora Denise Bonfim, que voltou a negar o recurso.

O voto da magistrada foi acompanhado pelos outros dois desembargadores. Os crimes praticados por Raimundo Nonato, ocorreram na madrugada de 7 de agosto do ano passado, quando em visível estado de embriaguez alcóolica, o policial matou Wesley dos Santos e feriu a namorado do rapaz, Rita de Cássia. Preso em flagrante, foi liberado no dia seguinte na audiência de custódia.

Notícias relacionadas :

spot_img

NÃO DEIXE DE LER