sábado, 20 julho 2024

Líder do governo na Aleac diz que estado e prefeitura falharam em plano de contingência

Em pronunciamento na sessão desta quarta-feira (29), a líder do governo na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputada Michelle Melo (PDT), disse que o Plano de Contingência Operacional de Enchente do poder público do Acre deixou a desejar.  Ainda segundo a parlamentar, quem ficou com a maior parte da responsabilidade dos prejuízos causados pela cheia foi a própria população.

“Nosso Plano de Contingência deixou a desejar por vários motivos e não vou me referir aqui somente a prefeitura, mas, ao governo do Estado também. Um plano de contingência eficiente poderia evitar tantas perdas e tanto sofrimento. Alguns secretários precisavam ter acreditado mais nas previsões de enchentes. Isso ocasionou vários problemas que estamos tentando com muito esforço contornar porque a maior parte do trabalho quem está fazendo é a própria população”, disse.

A pedetista destacou, ainda, o trabalho que a Secretaria de Meio Ambiente e das Políticas Indígenas do Acre têm realizado na alagação. “Quero parabenizar a secretária Julie Messias por tudo que tem feito no acolhimento às vítimas da cheia. A conheci no Taquari levando assistência aos alagados. Uma mulher de fibra, de garra, que mostrava a cada meia hora o mapa das enchentes. Não sabia que havia tanta técnica, com tanta qualificação naquela secretaria. Que a garra e a resiliência dessa mulher sirvam de exemplo para os outros secretários”, enfatizou.

Michelle Melo também falou sobre a importância do Projeto de Lei de autoria do Poder Executivo que dispõe sobre a instituição do Programa Auxílio do Bem, destinado às famílias em situação de vulnerabilidade social desabrigadas por enchentes”.

“Não poderia deixar de destacar a atuação desta Casa nesse período difícil que estamos vivendo. Não haveria Auxílio do Bem instalado se não fosse o trabalho deste Poder, a celeridade e o esforço de todos os parlamentares. Nós temos sim a capacidade técnica e humana, o que estamos precisando de fato é de diálogo. As peças precisam estar engrenadas para poder rodar a máquina do governo e da prefeitura. Tem muita gente querendo ajudar. Nós só precisamos dialogar”, complementou.

A deputada lamentou, ainda, o falecimento do idoso Francisco de Mendonça Filho, de 72 anos, ocorrido dentro do Parque de Exposições Wildy Viana na tarde de ontem (28), em Rio Branco. O local é usado como abrigo pelos moradores afetados pela enchente do Rio Acre.

“Eu espero de verdade que a prefeitura de Rio Branco comece a fazer a sua parte. Um idoso cheio de patologias morreu dentro de um local coberto por lonas, sem a menor prevenção. Me solidarizo com a família desse senhor, ninguém deseja morrer com essa falta de dignidade”, finalizou.

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO