quarta-feira, 17 julho 2024

Moderado e com mandato, Petecão é alçado à condição de interlocutor político entre Lula e o Acre

Editorial Acre Jornal

As nuvens da política mudam rápido. A eleição de Lula como presidente começou a desenhar uma nova realidade política para o Acre. Apesar de ter saído menor da eleição estadual, quando não conseguiu eleger ninguém, a esquerda ganha fôlego no estado com Lula presidente. As lideranças mais proeminentes, encabeçadas por Jorge Viana (PT), terão tapete vermelho no planalto, disso ninguém duvida.

Mas nenhum político do Acre terá mais força junto ao novo governo do que o senador Sérgio Petecão (PSD). Moderado, com mandato, e com posições de centro-esquerda, o senador foi alçado pelas circunstâncias à condição de interlocutor político entre Lula e o Acre. O histórico de Petecão é de um político pacificador, do diálogo, e sobretudo de alguém pragmático, que não se deixa levar por posições extremadas.

A bancada federal  do Acre recém-eleita é praticamente toda “bolsonarista”, com alguns dos novos parlamentares federais já tendo inclusive se posicionado como oposição ao Lula a partir de agora, como é o caso do senador eleito Alan Rick (UB) e do senador Marcio Bittar (UB). Desta forma, o único político do Acre com mandato majoritário capaz de dialogar com o planalto de forma amigável a partir do ano que vem é Sérgio Petecão.

Mais do que liberar  emendas em favor do Acre, coisa que ele já faz com mestria, Petecão poderá abrir as portas dos Ministérios para o Acre em Brasília, isso poderá garantir grandes obras para o estado via governo federal e tratamento diferenciado. Inexoravelmente o senador passará  a ser um divisor de águas em eleições futuras, seja em 2024 ou 2026. Não por acaso, o próprio Jorge Viana já abriu diálogo com o senador em busca de construir novos caminhos para o futuro do Acre.

Cauteloso que é, a princípio Petecão não fará grandes movimentos em direção a Lula, até porque está no mandato de senador e com certeza será convidado a compor com a base lulista via PSD, que antes mesmo da eleição deixou os filiados à vontade quanto à escolha do candidato à presidente. Uma guinada em direção a Lula agora poderia prejudicar a liberação de emendas pendentes do senador, já que o ‘bolsonarismo” é capaz de tudo, como ficou provado nessas eleições .

Nessa nova configuração política que o Acre passa ter, com uma bancada federal quase unânime no apoio à Bolsonaro, e Lula sendo o novo presidente, por mais que os parlamentares federais do Acre se esforcem para abrir caminhos no planalto, Petecão sai na frente e vai nadar “de braçada” em relação aos  colegas. Para o bem do Acre, já existe pelo menos uma trilha aberta para o estado em Brasília, que com o tempo pode virar uma larga avenida para beneficiar o estado com recursos e projetos de grande impacto na vida dos acreanos.

spot_img

Notícias relacionadas :

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO