domingo, 14 julho 2024

Operação policial contra onda de assaltos e arrombamentos prende sete na fronteira

Operação policial realizada neste fim de semana por homens do Grupo Especial de Fronteira (Gefron) e do Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva (Giro) prendeu pelo menos sete pessoas envolvidas em onda de assaltos que vêm ocorrendo nas cidades acreanas de Brasiléia e Epitaciolândia.

As prisões ocorreram após a reação das forças de segurança a uma série de roubos e furtos ocorridos na região da fronteira, por meio de arrombamentos de estabelecimentos comerciais e assaltos à mão armada. A situação de insegurança levou populares e autoridades a exigirem uma ação mais forte do Estado.

As operações policiais nas duas cidades acreanas em resposta aos crimes contra o patrimônio começaram a acontecer ainda durante a semana passada, segundo informação do delegado adjunto de Brasiléia, Erick Maciel. Na última terça-feira, 26, o delegado Eustáquio Ferreira, de Epitaciolândia, já havia feito prisões.

Neste fim de semana, as prisões foram relacionadas a assaltos ocorridos recentemente. Os bandidos sempre utilizavam uma motocicleta de características bolivianas e surpreendiam as vítimas armados, levando pertences, como celulares, e até mesmo veículos, sob ameaças de morte.

De acordo com o jornal O Alto Acre, de Brasiléia, os suspeitos foram identificados e na maioria eram pessoas recrutadas da capital para praticar os roubos na região da fronteira como meio de arrecadarem dinheiro para o fortalecimento de um determinado grupo criminoso que atua no estado.

Além das prisões, foram apreendidas armas que eram usadas nos crimes, entre as quais estavam um revólver calibre 38 municiado, sem identificação de marca, junto a outras munições; uma escopeta calibre 28; além de 10 aparelhos de telefone celular, dos quais um estava destruído, pois os bandidos não conseguiram o destravar.

As operações policiais na região devem prosseguir diante da situação de insegurança que aumentou nas duas cidades acreanas nos últimos dois meses. Nem mesmo o pai da prefeita Fernanda Hassem, que é dono de farmácia, escapou dos criminosos, que em alguns casos são velhos conhecidos da polícia.

A prefeita chegou a divulgar uma nota sobre o caso, destacando a reincidência dos roubos contra o estabelecimento do seu pai, além de mostrar o vídeo da ação criminosa e que o autor aparecia em ação.

“Essa aqui é a pessoa que furtou há poucos dias a farmácia dos meus pais, que assim como tantos outros, vivem trabalhando dignamente. Essa já é a 3ª vez que o estabelecimento deles é furtado e nunca conseguiram prender o autor”, disse a prefeita.

Em setembro, vereadores de Brasiléia ameaçaram fechar a Ponte Wilson Pinheiro, conhecida como “Ponte da Amizade”, que interliga Brasiléia e Cobija, no departamento de Pando, na Bolívia. Sem fiscalização permanente, a ponte é considerada como um facilitador para que os autores dos crimes fujam para o lado boliviano.

Com colaboração do jornal O Alto Acre.

spot_img

Notícias relacionadas :

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO