sábado, 25 maio 2024 - 15:21
spot_img

Acusada de mandar matar o marido no Acre é levada a júri popular

Os acusados pela morte do homem conhecido como Chico Abreu (Francisco Campos Barbosa), serão levados a jurí popular, conforme anunciado pela Vara Criminal da comarca de Xapuri. A ex-esposa e viuva de Chico é apontada como mandante do crime, que teria encomendado o assassinato para que ficasse com o dinheiro do falecido. De acordo com o Ministério Público do Acre (MPAC), Risonete Borges Monteiro teria contratado Benigno Queiroz Sales para realizar o serviço. A dupla estava sob prisão preventiva desde junho de 2023.

Luís Gustavo Alcade Pinto, juiz responsável pelo caso, relata que a investigação da Polícia Civil já apresentou provas suficientes para que os réus possam ser levados a julgamento. “Há, ainda, indícios suficientes de autoria indicando os acusados Benigno Queiroz Sales e Risonete Borges Monteiro, como autores do crime, fato que foi admitido e confessado pelo próprio réu Benigno Queiroz Sales em juízo”, enfatiza o magistrado em entrevista.

Além disso, o pedido para que o processo fosse respondido em liberdade foi negado. “Nego aos réus Benigno Queiroz Sales e Risonete Borges Monteiro, o direito de recorrer em liberdade, uma vez que responderam ao processo no cárcere, sendo um contrassenso, após a presente decisão, colocá-los em liberdade, além disso, a manutenção da segregação persistem pelos mesmos ensejadores da custódia cautelar”, diz Alcade.

Entenda o caso

Em 27 de novembro de 2022, Chico Abreu foi encontrado morto em um ramal, localizado entre os municípios de Xapuri e Epitaciolândia, e ao ser levado ao Instituto Médico Legal, foi constatado que o homem teria morrido com um tiro nas costas, e também passou por enforcamento. O principal suspeito era Benigno Queiroz Sales, de 36 anos, popularmente conhecido como “Banana”. O suspeito teria sido preso no dia seguinte, 28 de novembro de 2022, segundo o delegado, Luis Tonini, informações indicavam que o suspeito estaria escondido na mata, junto com a arma do crime.

Ao ser encontrado, desarmado, Banana mostrou onde estava a arma do crime e confessou o ocorrido, mas alegou legítima defesa. As investigações apontam que a motivação da ex-mulher foi o dinheiro que Chico Abreu guardava em casa, que seria dividido de maneira igualitária entre ela e o executor.

Risonete Borges Monteiro e Benigno Queiroz Sales foram transferidos para o Complexo Penitenciário Francisco Oliveira, em Rio Branco.

“Segundo informações, a vítima teria vultuosa quantia de dinheiro guardada em casa e a esposa, sabendo disso, convidou o caseiro da colônia para que ele roubasse esse valor com ela. O caseiro ficou incumbido de matar a vítima e depois levar o dinheiro que seria dividido em partes iguais entre a esposa da vítima e o caseiro”, esclareceu o delegado.

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO