sábado, 25 maio 2024 - 3:02
spot_img

Eleitores de Taiwan rejeitam China e dão a partido governista terceiro mandato presidencial

Os eleitores taiwaneses levaram o candidato presidencial do Partido Democrático Progressista (PDP), Lai Ching-te, ao poder no sábado, rejeitando com veemência a pressão chinesa para rejeitá-lo, já que Lai prometeu enfrentar Pequim e buscar conversações.

O partido de Lai, que defende a identidade separada de Taiwan da China e rejeita as reivindicações territoriais chinesas sobre a ilha, estava buscando um terceiro mandato sucessivo de quatro anos, sem precedentes no atual sistema eleitoral de Taiwan.

“Escrevemos uma nova página na história da democracia de Taiwan”, disse Lai, há muito tempo na liderança das pesquisas, aos repórteres depois que seus dois oponentes admitiram a derrota.

No período que antecedeu a eleição, a China denunciou Lai como um separatista perigoso e conclamou o povo de Taiwan a fazer a escolha certa, ao mesmo tempo em que observou o “dano extremo da linha de ‘independência de Taiwan’ do PDP”. Eles também rejeitaram repetidamente os apelos de Lai por negociações.

Lai disse que manteria o status quo nas relações entre os dois lados do Estreito, mas que estava “determinado a proteger Taiwan das ameaças e intimidações da China”.

Ao mesmo tempo, ele enfatizou a necessidade de cooperação e diálogo com Pequim em uma base igualitária para “substituir o confronto”, embora não tenha dado detalhes específicos.

O governo chinês afirmou que o resultado eleitoral em Taiwan mostrou que o PDP não representa a opinião pública convencional na ilha e que a determinação da China de resolver a questão taiwanesa e realizar a “reunificação” nacional segue firme como uma rocha.

A eleição não foi apenas sobre a China, com eleitores preocupados com questões tão variadas quanto o alto custo das moradias, o baixo crescimento dos salários e o fornecimento instável de energia.

Lai obteve 40% dos votos, ao contrário da atual presidente Tsai Ing-wen, que foi reeleita por uma vitória esmagadora há quatro anos, com mais de 50% dos votos.

O PDP também perdeu o controle do Parlamento, disse Lai, o que poderia prejudicar sua capacidade de aprovar leis e projetos de gastos.

No entanto, ele ofereceu um aceno a seus oponentes ao dizer que incluiria talentos de seus partidos.

Lai disse que cooperaria com seus rivais eleitorais, Hou Yu-ih, do maior partido de oposição de Taiwan, o Kuomintang (KMT), e com o ex-prefeito de Taipé, Ko Wen-je, do Partido Popular de Taiwan, para resolver os problemas enfrentados por Taiwan.

Durante a campanha, centenas de milhares de jovens taiwaneses compareceram aos comícios realizados por Ko, que surgiu como uma nova força no cenário político de Taiwan, com cerca de um quarto dos votos, apesar de ter ficado em último lugar.

Os resultados completos da apuração da eleição para o Parlamento eram esperados para o final da noite de sábado, com cerca de 70% dos cerca de 19 milhões de eleitores qualificados da ilha tendo votado.

Tsai estava constitucionalmente impedida de se candidatar novamente após dois mandatos.

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO