sábado, 25 maio 2024 - 8:21
spot_img

Fazendeiro de Acrelândia é sequestrado com a família e tem camionete zero levada por bandidos

O fazendeiro Sebastião Ribeiro, de 67 anos, morador do município de Acrelândia, foi mais uma vítima da onda de violência sem precedentes que atinge a região. Na noite de terça-feira (15) da semana passada, ele a esposa e a irmã foram sequestrados e ficaram em poder dos bandidos por quase duas horas, além de ter uma camionete zero km roubada e vários aparelhos eletrônicos levados da casa da família pelos sequestradores.

Segundo o relato da vítima, era por volta das 22h quando três bandidos entraram pelos fundos da casa e renderam a família. Na ocasião estavam na casa o fazendeiro, a esposa, e a irmã, que inclusive é deficiente auditiva. Sob a mira de armas e aos gritos, a família foi rendida e as vítimas tiveram as mãos amarradas.

Todos os aparelhos eletrônicos da casa foram colocados na camionete S10 cabine dupla, recém comprada pelo fazendeiro e que estava sem placa, já que o veículo foi adquirido a poucos dias. Entre os objetos roubados estavam dois televisores, um notebook, um aparelho de som e dois telefones celulares.

Em seguida as vítimas foram colocadas no banco de trás do veículo e foram mantidas sob a mira das armas. Os sequestradores, um deles dirigindo o carro, foram até um local ermo na entrada da cidade, onde as vítimas foram obrigadas a descer do carro e permaneceram em poder de um dos bandidos. Os outros dois sequestradores fugiram levando a camionete e na carroceria os objetos roubados.

Segundo o fazendeiro, minutos depois de descerem do carro o bandido que estava mantendo as vítimas reféns falou ao telefone, supostamente com os comparsas, que já estariam levando o veículo para atravessar a fronteira em Plácido de Castro e ser entregue na Bolívia. Pela conversa ouvida, o plano de fuga teria dado errado e o sequestrador que estava com as vítimas foi avisado, fugindo do local e deixando a família em meio ao matagal, todos com as mãos amarradas.

 

“Um anjo de Deus nos salvou” diz o fazendeiro, que viu a morte de perto.

Segundo o relato de Sebastião, que é evangélico, enquanto ele estava no meio do mato, com as mãos amarradas, de joelhos, e com uma arma apontada para sua cabeça, ele orou a Deus, pedindo que os livrasse da morte.  “Eu vi a morte na nossa frente, orei e pedi ao senhor que nos livrasse daquele terror, que mandasse um anjo para nos salvar. Ele nos atendeu, eu tenho certeza que foi ele que nos socorreu naquela hora, senão hoje eu não estaria aqui”, declara emocionado.

Ocorre que no trajeto entre a cidade de Acrelândia e o município de Plácido de Castro os bandidos cruzaram com uma viatura da Polícia Militar, que estava saindo de dentro de um dos ramais da BR 364. Ao ver a camionete S10 sem placa cruzar em alta velocidade àquela hora da noite, a PM suspeitou que poderia se tratar de criminosos em fuga.

A viatura da PM passou então a perseguir os criminosos no rumo de Plácido de Castro. Os bandidos perceberam que estavam sendo seguidos, e ao chegar em uma área de floresta pararam o veículo no acostamento e fugiram mata  adentro, tomando rumo ignorado. Os policiais ainda tentaram persegui-los mas não obtiveram sucesso.

O veículo roubado foi trazido de volta para Acrelândia e os policiais se dirigiram à casa do fazendeiro. A PM vistoriou toda a área mas no local não havia ninguém. As vítimas, logo após serem libertadas, foram pedir ajuda de amigos e parentes na cidade, evitando voltar para a residência de imediato.

No dia seguinte a família foi comunicada do corrido pela PM e o veículo foi devolvido ao proprietário. A maior parte dos objetos roubados foi recuperada, no entanto os dois telefones celulares de última geração, um Iphone e um Samsung , não foram encontrados.

 

Fazendeiros pressionam por mais segurança na região

Logo após o ocorrido, um grupo de fazendeiros da região de Acrelândia, ao saber do episódio, se juntou à vitima no sentido de pedir às autoridades do Estado mais segurança para o município. O objetivo do grupo é coibir os assaltos e sequestros de produtores rurais da região, que estão se tornando frequentes.

Na semana passada o grupo participou de uma reunião com a alta cúpula da Segurança Pública do Acre, onde a situação foi classificada pelo grupo como insustentável. “ Não tem como tolerar mais isso, já passou de todos os limites, é uma afronta muito grande ao Estado, os bandidos fazem o que querem com a gente e não se toma uma providência”, disse um dos participantes da reunião, que prefere não ser identificado.

Entre as questões discutidas na ocasião, está a grave denúncia de que autoridades do município de Plácido de Castro teriam sido forçadas a pedir a retirada do policiamento de fronteira, na estrada que dá acesso à Bolívia, por pressão de grupos criminosos que atuam no município, as chamadas “facções”.

Segundo os fazendeiros, um dos atrativos para atuação desses grupos criminosos na região de Acrelândia é a facilidade com que os veículos roubados são levados para a Bolívia passando por Plácido de castro.  A falha na fiscalização ou a completa falta de policiamento na fronteira estimula os roubos.

 

Secretaria de Segurança diz que montou operação especial para inibir a criminalidade

As reclamações sucessivas de moradores dos municípios de Acrelândia, Capixaba, Plácido de Castro e Senador Guiomar sobre a escalada da violência nessa região, principalmente na zona rural, já mobiliza o sistema de Segurança Pública desde o início deste mês. Com os frequentes assaltos e sequestros de produtores rurais, a Secretaria de Estado  montou um plano estratégico para fazer frente à essa violência.

Em contato com a reportagem do Acre Jornal, o coordenador operacional da Secretaria de Justiça e Segurança Pública – SEJUSP, cel. Glayson Dantas, explicou como está funcionando o trabalho, que contempla esses municípios e se estende até a área da fronteira do Acre com a Bolívia.

“Desde 07 de novembro que foi iniciada a operação. Nós montamos um cerco tático no trevo de Senador Guiomar com abordagem continuada 24 horas por dia, também fixamos operações na ponte que dá acesso a Vila Evo Morales na Bolívia, e estamos fazendo incursões diárias e noturnas nos ramais de Acrelândia”, declara o cel.

Ainda segundo ele, “duas guarnições do Gefron também estão em pronto emprego no posto Tucandeira. Então toda a área está sendo monitorada e fiscalizada pelas Policias Civil e Militar.  A ideia é que essa operação perdure por vários meses”, garantiu.

Quanto ao último assalto seguido de sequestro em Acrelândia ele informou que os criminosos já foram identificados por testemunhas, e que a Polícia segue investigando o paradeiro dos três, que ainda permanecem foragidos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO