quinta-feira, 29 fevereiro 2024 - 2:46
spot_img

Governo do Estado alerta população do Juruá sobre o uso consciente da água

Rio Juruá com baixo volume de água. Foto: Diego Silva/Secom

O período de estiagem no ano de 2023 tem sido mais intenso no Brasil. A região amazônica, mesmo com grande potencial hídrico, vem sofrendo os efeitos do longo período de escassez de chuvas. O governo do Acre publicou no último dia 6 um decreto que estabelece situação de emergência diante do cenário de seca no estado. Com isso, o Saneacre, em reunião com os presidentes de associações de bairros em Cruzeiro do Sul, na manhã desta segunda-feira, 9, discutiu sobre a conscientização do uso racional de água no município.

“Nosso objetivo em promover esse encontro com os representantes de bairro é chamar a atenção da população juruaense para o uso consciente da água, evitando o desperdício”, destacou Braz Pedroza, gestor do Saneacre em Cruzeiro do Sul.

“É importante que a população use a água de maneira consciente, observando esse período de estiagem que estamos vivendo”, disse Maiqueline Rodrigues, presidente do Bairro Miritizal.     

Em reunião, presidentes de bairros alertam Em reunião, presidentes de bairro alertam para o uso racional dos recursos hídricos. Foto: Marcos Santos/Secom

“A estiagem é o resultado da redução, atraso ou ausência de chuvas e períodos chuvosos previstos para uma determinada temporada. Nessa época, o ar fica mais seco, propiciando problemas respiratórios, gripes e alergias. Pode ocorrer racionamento de água em virtude da sua diminuição nos reservatórios e rios. Pode acontecer, também, falta de energia elétrica, pois grande parte da eletricidade no Brasil é produzida por usinas hidrelétricas”, enfatizou o coronel Carlos Batista, coordenador da Defesa Civil estadual.

Estiagem e Agricultura

ausência de chuvas causa uma série de dificuldades para o agronegócio, não só pela influência direta nas safras, mas também por atingir toda a cadeia produtiva e a logística de distribuição. Muitas famílias no Juruá vivem da agricultura. A baixa umidade do solo é uma das maiores causas de atraso de plantio no Acre e a falta de chuvas regulares durante o desenvolvimento das plantas afeta a qualidade final da maioria dos produtos agrícolas.

Assim, o governo do Acre já definiu ações estratégicas dentre elas a  necessidade de caminhão pipa para abastecer comunidades mais distantes.

Agência de Notícias do Acre

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

spot_img

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO