quinta-feira, 29 fevereiro 2024 - 4:51
spot_img

MPAC participará da Expojud 2023 para apresentar inovações e projetos

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) estará presente na 7ª edição do Congresso de Tecnologia, Inovação e Direito para o Ecossistema da Justiça (ExpoJud), que acontecerá em Brasília/DF, entre os dias 24 e 26 de outubro. No evento, que reunirá integrantes do judiciário de todo o país para palestras e capacitações, o MP acreano terá um estande e será um dos 130 expositores de projetos e iniciativas institucionais.

Neste ano, serão apresentadas iniciativas como o Grupo de Resposta a Desastres Naturais (GPRD), Observatório de Violência de Gênero (Obsgênero), Inteligência Estratégica e Observatório de Análise Criminal. O evento contará ainda com o Prêmio de Inovação Judiciário Exponencial – Edição 2023, onde o GPRD está entre os finalistas. No ano passado, a procuradora de Justiça Patrícia de Amorim Rêgo foi agraciada com o prêmio na categoria Liderança Exponencial.

Segundo a promotora de Justiça Marcela Cristina Ozório, secretária de planejamento e inovação e coordenadora do Núcleo de Apoio Técnico (NAT), o congresso é um momento de exposição e compartilhamento de ideias entre as instituições.

“A Expojud é uma oportunidade para expor nosso trabalho e atuação voltada a tecnologia, inovação e gestão eficiente. As instituições levam para o congresso boas práticas que aliam tecnologia com inovação, atividades que otimizem recursos tecnológicos, materiais e humanos”, destaca.

Sobre as iniciativas do MPAC

O GPRD foca em ações de prevenção e resposta a situações de emergência e calamidade decorrentes de desastres. A Inteligência Estratégica, por sua vez, busca gerar conhecimento por meio de análise de dados para embasar a tomada de decisões. Já o Obsgênero concentra-se em analisar a violência de gênero, enquanto o Observatório de Políticas Públicas atua no controle e combate à improbidade administrativa e corrupção no setor público.

Ferramentas como o Transparentômetro avalia a transparência das instituições e o Feminicidômetro visa dar transparência aos casos de feminicídio. Do NAT, órgão auxiliar do MPAC que atua em áreas de inteligência e segurança institucional, análise criminal e técnico-científico, serão apresentados ainda projetos como o Observatório de Análise Criminal, Observatório de Políticas Públicas, o sistema RETINA, o Comunicado de Possíveis Irregularidades (COPI) e o Comunicados de Atividades Atípicas (COAT), que desempenham papéis cruciais na atuação proativa na segurança pública e na busca por irregularidades.

Agência MPAC

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

spot_img

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO