sábado, 25 maio 2024 - 3:08
spot_img

Neblina impede pouso de avião em Cruzeiro do Sul e passageiros reclamam de assistência de companhia aérea

Uma forte neblina impediu o pouso de uma aeronave da Gol Linhas Aéreas em Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, e um voo com destino à capital Rio Branco precisou ser cancelado. Com isso, os passageiros foram levados pela empresa a um hotel do município, onde seguem até a manhã desta quinta-feira (1).

O voo estava previsto para sair de Cruzeiro do Sul às 00h45 desta quinta com previsão de chegada às 2h. Segundo a jornalista Jane Vasconcelos, que está entre os passageiros afetados pelo cancelamento, ao comunicar a suspensão da viagem, a companhia também informou que apenas cobriria custos com café da manhã durante a hospedagem, e os clientes teriam que arcar com as demais refeições.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, Jane reclama ainda que a empresa não informou sobre previsão de novo voo.

“Bom gente, continuamos aqui no aeroporto de Cruzeiro do Sul. São 2h29 da manhã. A Gol vai dar para a gente o hotel somente com café da manhã, almoço e jantar. Foi entregue essa declaração que não diz quando a gente vai ter um voo, não consta que vai ter alimentação para a gente. Essa é a situação. Estamos aqui em Cruzeiro do Sul, não sabemos quando vamos voltar para casa, não tem previsão. Ainda tem toda essa galera para resolver sua situação para que a gente possa chegar no hotel”, diz a passageira.

Passageira reclama de falta de suporte após companhia aérea cancelar voo no AC

Passageira reclama de falta de suporte após companhia aérea cancelar voo no AC

O g1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da companhia aérea, que disse que o voo precisou ser cancelado por conta das condições meteorológicas.

“Por essa razão, o G3 1799 (Cruzeiro do Sul-Rio Branco) foi também cancelado. Os Clientes de ambos os voos receberam todas as facilidades da Companhia: hotel, transporte e alimentação. Foram criados voos de reforço para atender a contingência em Cruzeiro do Sul e Rio Branco: voo G3 9225, RBR-CZS, marcado para às 23h00 do dia 03/02, e voo G3 9226, CZS-RBR, à 00h55 do dia 04/02. A Companhia reforça que procedimentos como este são realizados com total foco na Segurança”, complementa a nota.

Ao g1, ainda na manhã desta quinta, Jane informou que a empresa segue sem informar sobre nova previsão de voo nem se deve mudar a orientação em relação à garantia de refeições. Segundo ela, funcionários da companhia informaram que os gastos que não serão cobertos pela empresa durante a estadia após o cancelamento podem ser ressarcidos mediante solicitação no site da empresa.

“Nós fomos para o aeroporto ontem quarta-feira, 31 e ficamos esperando. Eles anunciaram que o voo tinha sido cancelado. A gente foi para aquele processo de fila, de pegar voucher de hotel. Quando fomos para a fila, eles disseram que tinham o hotel e que nos levariam. Mas o almoço e o jantar nós teríamos que pagar. E aí, questionamos: ‘mas como assim? E as pessoas que não têm condições?’. Nos informaram que esse era o protocolo. Falamos: ‘mas esse protocolo está errado’”, relata.

Jane questiona ainda que a situação é comum, e afeta principalmente moradores do município que precisam constantemente fazer esse trajeto de avião.

“O nosso questionamento é que já se normalizou o descaso aqui no estado. As pessoas simplesmente já foram para suas casas e foi ficando a gente. Nós viemos trabalhar e tínhamos que voltar ontem à noite. Fica assim: você entra lá no site, você corre atrás [do ressarcimento de refeições. A nossa passagem é a passagem mais cara. A gente merece no mínimo respeito. Não é comigo, não é porque sou eu. É uma população. O Juruá passa por isso há anos. E não existe uma providência. Eles estabeleceram o protocolo, assim como eles estabelecem o preço da passagem. E a gente, consumidor, a gente trabalhador, assalariado. O que a gente faz? Não tem como dar certo isso”, finaliza.

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO