segunda-feira, 15 abril 2024 - 14:47
spot_img

Prefeitura busca parceria com Fiocruz e o Centro de Infectologia Charles Merieux no combate as doenças do período invernoso

Com a chegada do período chuvoso na Amazônia, chegam também os riscos de proliferação do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. A prefeitura já realizou várias ações preventivas como conscientização e limpeza nos bairros.

Como forma preventiva de uma possível epidemia, a secretaria municipal de Saúde, a Fiocruz de Porto Velho e o Centro de Infectologia Charles Merieux , estão firmando parceria na análise de exames e diagnósticos.

Os representantes das instituições se reuniram no centro de Infectologia Charles Merieux. De acordo com a pesquisadora em Saúde Pública, Deuzilene Vieira,  representante da Fiocruz, dentro do cenário amazônico existe uma prevalência muito grande das arboviroses, que são vírus transmitidos por mosquito.

“São mais de 534 arboviroses diferentes, boa parte estão na nossa região amazônica. É muito comum nessa mudança de clima a gente ter a apresentação desses quadros febris. E aí vem a importância de fazer a vigilância molecular, ou seja, de tentar identificar quais os vírus estão circulando e associar essa circulação com a vigilância muscular. Genômica também, tentar entender se o vírus que está circulando aqui, ele tem alguma mudança dentro da sua característica genética”, exlicou a pesquisadora.

Segundo o gerente do Centro de Infectologia Charles Merieux, o laboratório da Fundhacre, tem uma das melhores estruturas laboratoriais para diagnóstico molecular no estado do Acre, e na região norte, é uma das maiores referências. Durante a epidemia da Covid 19, o laboratório atuou com eficiência na análise dos casos.

“Um grande exemplo é que o laboratório apoiou o diagnóstico de covid no estado e é a prova de que isso pode se repetir para outras infecções, para outras epidemias, como Zika, Chikungunya, Dengue, Mahiro e Oropux, que são as arboviroses”.

A secretária de Saúde do município Sheila Andrade, falou da importância das parcerias no combate as arboviroses.

“É um desejo do prefeito, que a gente não venha passar por essas epidemias. Estamos buscando auxílio de outras instituições. A população também pode ajudar para evitar que a dengue se prolifere, se aumente o quantitativo de casos e se necessário for, as nossas URAPs, as nossas USFs estão todas preparadas para receber esse paciente e tratar da melhor forma possível para não deixar que a dengue se agrave”, concluiu.

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

spot_img

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO