sábado, 25 maio 2024 - 2:50
spot_img

Após denúncia de abandono, Prefeitura promete revitalização da Praça da Catedral

Reportagem publicada pelo Acrejornal nesta segunda-feira (07) mostrou o estado de abandono da Praça da Catedral, em frente à diocese de Rio Branco, no Centro da cidade. (veja abaixo) O relato de transeuntes e comerciantes que se sentem prejudicados com a situação motivou a Prefeitura de Rio Branco a anunciar a revitalização do espaço, que passará por reforma e terá os quiosques onde funcionavam as lanchonetes reativados.

Abandonada  pela Prefeitura, Praça da Catedral vira alvo de vândalos e usuários de drogas

O secretário municipal de infraestrutura, Cid Ferreira, garantiu que “a Prefeitura, através da Seinfra, para o próximo ano estará contratando ou demandando essas ações de revitalização das praças para a Secretaria de Cuidados da Cidade, será através de execução própria ou por licitação para contratar uma empresa para a execução desses serviços, não só da praça mas de outros equipamentos públicos, isso já está incluído no orçamento da prefeitura para 2023”, explica.

Sem vigilância ou qualquer tipo de cuidado do Poder Público, a Praça da Catedral virou alvo de vândalos, sendo atualmente frequentada por moradores de rua e dependentes químicos. Um dos atrativos da Praça da Catedral para a presença de visitantes eram os quiosques que funcionavam no local vendendo comidas e bebidas, no entanto, os estabelecimentos deixaram de funcionar no período da pandemia e não foram mais reativados. Enquanto estavam fechados os boxes foram arrombados e saqueados.

Segundo o secretário Cid Ferreira, “a maior dificuldade para manter aqueles comércios funcionando é a questão da falta de segurança que não compete diretamente ao município. Nós já fomos inclusive procurados por comerciantes daquela área que querem reativar os comércios,  e vamos sim apoiá-los e fazer o que estiver ao nosso alcance, inclusive com a revitalização dos espaços”, explica.

Nas proximidades da Praça da Catedral existem diversos prédios públicos, como o museu do Tribunal de Justiça, o fórum Barão do Rio Branco e a sede da Corregedoria da Policia Militar. Assim como vários locais do centro da cidade, a presença de dependentes químicos e moradores de rua inibe a população de frequentar o espaço. O secretário finaliza afirmado que “ali é uma área de difícil manutenção por conta de vandalismo mesmo, é uma questão de segurança pública, mas isso não tira a responsabilidade da Prefeitura”.

Compartilhe:

spot_img

Notícias relacionadas :

spot_img
spot_img

NÃO DEIXE DE LER

VEJA O QUE ACONTECE NO BRASIL E NO MUNDO